Logo Cristina Fotin

Dicas e Cuidados


A escolha de um animal de estimação é uma decisão muito importante na vida de um indivíduo ou de uma família.

A convivência com os animais é muito benéfica para o ser humano, proporcionando muita alegria e a oportunidade de compartilhar o amor, a amizade e a companhia de seres tão especiais.

O pet escolhido irá dividir a atenção e o carinho com a pessoa ou membros da família e por isso muitos aspectos devem ser pensados, como por exemplo a afinidade. Algumas pessoas preferem a companhia das aves, outras dos répteis, outros de coelhos e roedores, outras de cães ou dos gatos. Conhecer o comportamento da espécie ajuda muito na escolha.

Uma boa conversa com o médico veterinário pode ajudar em algumas considerações.






Clique nos ícones abaixo para ver as dicas:

Dicas Mamíferos2 Dicas Aves Dicas Répteis
Tempo Disponível Ambiente Adequado Comportamento Tempo de Vida Doenças em animais silvestres Investimento Legislação

Mamíferos


Coelhos e roedores como porquinho da Índia e hamster sírio (ou dourado) costumam ser muito dóceis. Devem aprender a conviver com as pessoas desde filhotes, para não apresentarem comportamento de medo quando adultos, o que pode torná-los ariscos.

Os chinchilas e os hamsters chineses são bem ativos e precisam ser acostumados desde bem filhotinhos com as pessoas, com a manipulação (pegas no colo, passar a mão) para poderem confiar nas pessoas e se tornarem bem dóceis. Caso contrário, podem se tornar ariscos e podem até morder.

Os furões, ou ferrets, são animais muito curiosos, ativos e brincalhões. Devem ser acostumados também, desde filhotes, com a proximidade com o ser humano. Na natureza, os animais originais são caçadores de animais que fazem tocas. Então, os furões adoram explorar os ambientes, entrando ou procurando frestas e esconderijos, imitando o comportamento natural. Por isso, só devem ser soltos sob supervisão, ou em ambientes em que não se coloquem em risco.